sexta-feira, 16 de julho de 2010

Auta de Souza nº 1

Macaíba - RN, 12 de setembro de 1876 — Natal - RN, 7 de fevereiro de 1901

-----------------------------------------------

(do livro "Horto")

Ao Pé do Túmulo

Eis o descanso eterno, o doce abrigo
Das almas tristes e despedaçadas;
Eis o repouso, enfim; e o sono amigo
Já vem cerrar-me as pálpebras cansadas.

Amarguras da terra! eu me desligo
Para sempre de vós... Almas amadas
Que soluças por mim, eu vos bendigo,
Ó almas de minh’alma abençoadas.

Quando eu d’aqui me for, anjos da guarda,
Quando vier a morte que não tarda
Roubar-me a vida para nunca mais...

Em pranto escrevam sobre a minha lousa:
"Longe da mágoa, enfim, no céu repousa
Quem sofreu muito e quem amou demais". 

Mais sobre Auta de Souza em: Wikipédia (português)

Um comentário:

Monalisa Marques disse...

Eu, gom ezze agúmulo de gribe no beu gorbo, lendo izzo...

Ai, binha vitabina Z.

=]

Eu uso seu blog como dica do que procurar pra ler.