domingo, 22 de agosto de 2010

Eldorado

Ainda que falasse tudo e entendesse
como não foi, como nunca será,
certamente, do fundo dos meus olhos
uma lágrima nasceria, somente pra te dizer
que tudo que é você e tudo que eu te sou
é nada perto do que seria
se fôssemos, como fomos, um.

De quando, os longos braços dizem adeus,
somente para se abraçar de novo no dia seguinte.
E as mãos, ao se tocarem, perceberão o que há;
mas nunca nos dirão que viram
o raiar do dia de um, dentro do outro.

E o sol, brilhando sobre o ouro,
um dia fará ver a cidade perdida, dentro de mim,
dentro de ti, dentro de nós, a cidade partida
que só anseia pela unidade, quer ser toda,
ser cheia, ser uma, outra vez.

É esse fogo que me consome,
e te consome
sem perceber.
E esse fogo, seria fogo,
será meu fogo,
e meu somente
pois sem você. 

Rio, 22 de agosto de 2010

3 comentários:

Cℓαudïαnє disse...

"Eldorado significa O (homem) dourado em espanhol; segundo a lenda, tamanha era a riqueza da cidadela, que o imperador tinha o hábito de se espojar no ouro em pó, para ficar com a pele dourada."
Muito bom o seu eldorado.

Anônimo disse...

adoro suas poesias'muito.

lisi.

Malu Paixão disse...

poxa gabriel, lindo demais!
Fico feliz em ver que ainda existem pessoas que esbanjam sentimento assim, como vc!
talvez seja isso que nos torne mais humanos, essa intensidade!
muito bom! parabéns!!!
amei o blog! estarei por aqui;
bjão