quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Vira-vira

Absurdo atrás de absurdo,
a vida vira ilusão;
mentira atrás de mentira,
ilusão vira sonho;
e sonho vira a gente.
Quando a gente vira o sonho,
de cabeça pra baixo,
a vida vira vida.
E a vida, agora virada,
vira a gente, que
vira nada
e vira tudo que vier.
E virá.

Rio, 1 de setembro de 2010

Um comentário:

Murilo Gamboa disse...

Gastei um bom tempo lendo seus textos pelo blog. Está de parabéns! Ótimas poesias e textos bons de se ler!
Abraços.