segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Serão

Eu queria saber ser eu.
Quantas vezes sou tantos
e perco-me de mim.

Sumo atrás da colina,
apareço na outra esquina,
e a sinceridade me grita lá de casa.
Volto, então, e reencontro-me
e percebo que em todas as vezes que me perco
quem se perde sou eu mesmo, dentro de mim.

Eu queria saber ser outro.
Quantas vezes sou tantos
e encontro-me neles.

Rio, 13 de dezembro de 2010

Nenhum comentário: