quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Quando as lágrimas escorrem

pour ma chérie M.

Quando as lágrimas escorrem, parece escorrer-nos o coração. Parece despedaçado nosso órgão da vida, parece despedaçada nossa vida inteira. E eu não sei porque choramos, nem tento saber. Sei que o choro, às vezes, é tão grande que parece que vamos nos afogar – e talvez seja esse o nosso desejo. Mas a verdade é que no fim do choro a alma repousa límpida, cristalina como sempre havia sido. Com suas longas lágrimas a beijar-nos a face, ele lava rosto e corpo, fazendo de nós navegadores dos próprios mares internos. Para nos ajudar a navegar pelos mares revoltos das surpresas da vida, para isso valem as lágrimas. Choramos pelo que já foi e pelo que se vai, choramos pelo que fomos e pelo que seremos. Passam os dias, passam as casas, passam as existências, tudo passa. O amor é o que fica, como sempre há de ficar. E esse amor não tem fim, não tem início, não tem morte, não tem tempo. Ele está em cima e embaixo, dentro e fora de nós, e nos ajuda a caminhar. E é justamente ele que, quando as lágrimas não gritarem mais para fora de nós, nos ajudará a secá-las. Um ser humano não nasce e morre, um ser humano é. E nunca deixa de ser. Digamos até-logo, nunca adeus, pois nós também havemos de passar pela transmutação final; e então estaremos juntos, como e onde quer que isso seja. Sempre o consolo fútil das palavras é infinitamente inferior ao calor de um abraço apertado, mas quando a ilusão que é o espaço físico nos impede de exercer este, devemos nos contentar em oferecer o primeiro. Assim, com meu abraço à distância e minhas palavras a teu ouvido, ofereço estas palavras, não mais minhas, mas tuas, e todo o meu Amor, também teu, hoje e sempre.

Rio, 5 de janeiro de 2011

4 comentários:

Anônimo disse...

''Choramos pelo que já foi e pelo que se vai, choramos pelo que fomos e pelo que seremos.''

Hoje choro de alegria, porque sei que alguém como você chora exatamente pelo mesmo motivo que alguém como eu.
Lindo texto. Cheio de mim, de vc, e de qualquer pessoa que se deixa chorar.

Lov U (Wherever this is).

Gabriel M. Falcão disse...

Muitíssimo obrigado! Mas eu ia adorar se houvesse menos anônimos e mais pessoas...

Cacau disse...

Lindo texto Gabriel, de grande sensibilidadeparabéns! Continues exercitando essa sua veia poética herdade do seu avô e meu pai Paulo W. R. Falcão, o nosso inspirador poeta...abraço do seu tio padrinho/coruja
Cacau

Anônimo disse...

Chorar ... Amar... Viver ...

Muitas pessoas tem preconceito em relação ao ato de chorar , acham que é para os fracos . Mas, não percebem que neste ato está a libertação da alma e dos nossos sentimentos mais profundos, tanto os bons como os ruins. Na verdade eles poderiam estar ali dentro de nós, presos há milênios sem nunca sabermos. E presos estando, nos sufocavam a alma e a vida e perdidos ficamos a cada dia que se passa nessa agonia sem fim. Mas quando choramos tudo acaba , ou pelo menos melhora... Deixamos que nosso inconsciente ou nosso eu interior se expresse , se alivie ...
Chorar? Acho são mais do que lágrimas , é uma pequena libertação da nossa alma , quando sabemos que choramos, quando admitimos que choramos... Chorar? É desprendimento, é libertação ... É alívio no meio da tempestade de lágrimas do nosso ser.

Fernanda Viviani