sábado, 15 de outubro de 2011

O inventor-paixão

Quem será que inventou 
o beijo? 
Qual o ser que, súbito, 
viu os mesmos lábios de sempre, 
novos lábios de nunca, 
e sonhou o toque, 
desejou tocá-los, 
tocou-os, de fato? 
Uma palma para ele, 
que inventou paixão ao descobrir calor 
e destinou toda uma espécie a carícias infindáveis 
por sussurros inaudíveis. 
Uma palma para ele, 
que descobriu calor e inventou querer,
quis descoberta, inventou unir,
que viu o outro e fez-se um. 
No início foi Ele, e não deus, que criou a luz. 
Fez os seres se enxergarem por inteiro, 
os tirou da escuridão-separação. 
Viu que eram bons 
e um, 
porque assim o toque os fez, 
e reparou a injusta perfeição divina 
de criar 
e dividir.


Rio, 15 de outubro de 2011

11 comentários:

Anônimo disse...

Obrigada, escritor. Você tocou meu coração com palavras. Atingiu lugares onde só palavras podem chegar, me deu aquela pequena força (que dura uma fração de segundos, no mínimo) e que fez meu coração bater rápido.

Words are underrated. Quem dera você soubesse do que o seu blog (que achei nesta brechinha de mundo) foi capaz de mudar na minha vida.

Anônimo disse...

p.s.: preservei minha identidade pois acredito que rótulos sejam desnecessários. Nada de tietismo, nada de falsidade, só sinceridade no agradecimento e o clássico "continue escrevendo, você é muito bom nisso", que você deve ouvir sempre.

Gabriel M. Falcão disse...

Lindo seu comentário, quem quer que você seja!

PS: Meu problema com o anonimato virtual não é o tietismo, nem a falsidade — e sim a impossibilidade de um comentário como este ser o início de uma troca mais aprofundada.

De qualquer forma, volte sempre (anonimamente ou não)!

Letícia silva disse...

Gabriel que lindo tão profundo além de lindo é um poeta..! Parabéns

Anônimo disse...

Absorvi essas palavras com o clipe da cena de hoje. É difícil saber de qual forma você tem mais facilidade para entrar no coração das pessoa e iluminar tudo lá dentro, mas independentemente da maneira que você faça isso, faz muito bem. A cena do beijo "Benita" me deixou leve e as suas palavras me fizeram sair do chão. Você (Gabriel Falcão) transmite paz mesmo quando está sendo visto em um personagem. Parabéns, prodígio!

Anônimo disse...

nunca havia encontrado alguém com uma
essência tão profunda não sou fã do ator Gabriel só admiradora do homem Gabriel que escreve seus versos livres e consegue passar através do mesmo um sentimento cujo o mesmo revela sua verdadeira essência,

Anônimo disse...

queria poder conhecer o Gabriel sem rotulo de ator porque sei que és mais que um rotulo e um homem cujo o mesmo revela através de seus personagens um pouco de quem é realmente.
ass:esperança

Anônimo disse...

queria poder conhecer o Gabriel sem rotulo de ator porque sei que és mais que um rotulo e um homem cujo o mesmo revela através de seus personagens um pouco de quem é realmente.
ass:esperança

M. Oak disse...

A cada palavra .uma nova surpresa. A cada surpresa, um desejo ainda maior de absorver mais e mais do que fora escrito em letras miúdas. A cada suspiro, a certeza de que cada gesto escrito, cada palavra pintada e cada sonho vivido não foi mais do que uma linda e doce fantasia, que serve para tornar a vida real, um pouco menos cruel e mais livre para se viver!!

Uau Gabriel, viu o que você fez? Sua poesia incrivelmente doce e singela me inspirou em alguns sentimentos escritos!! Adorei, você além de lindo, carismático e super simpático, é um poeta de alma!! Mil beijos..
M.

Anônimo disse...

Muito linda a poesia, amei,realmente me tocou! Continue assim, seu caminho sera lindo, e cheio de coisas boas! =)

Yasmin disse...

Suas palavras são doces e suaves, conseguem penetrar os abismos mais ocultos da alma...
Eu queria inovar no agradecimentos, mas as palavras me faltam com tanta frequência que acho que terei que apelar ao bom e velho "Parabéns, você escreve muito bem. Continue assim!"
Espero poder manter contato e quem sabe trocar alguns versos meus por outros seus?!