segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

(para F.N. e D.R.)

No primeiro dia 
havia ovelhas.

No segundo dia 
um pastor se fez. 
Uniu as ovelhas 
em um rebanho só. 

No terceiro dia 
não há mais pastor — 
e, num só rebanho, 
todas as ovelhas. 

No quarto dia 
há tantos rebanhos 
quantas são ovelhas — 
e nenhum pastor. 

No quinto dia 
há alguns rebanhos, 
alguns pastores, 
algumas ovelhas. 

No sexto dia
haverá ovelhas, 
pastores, rebanhos.
E os três, um só. 

No sétimo dia
haverá lã.

Então 
tudo cessa —
nada é —
tudo pode. 

No primeiro dia 
haverá cavalos. 

Gabriel M. Falcão 
Campinas, 10 de dezembro de 2011

Nenhum comentário: