sábado, 3 de dezembro de 2011

Tornar-se

para R.

No sonho que o sonho me faz
Sou a praia e você e o cais
Com ciência e espírito em paz
E o vento à janela que traz
Árvores tortas demais
Seres frente ao vento atrás
Flores que exalam lilás
É a dança d'Iansã que jamais
Desperdiça o momento que jaz
E assim num instante fugaz
Tornou-nos tornados de nós.


Campinas, 3 de dezembro de 2011

Nenhum comentário: