segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Grandmèrepatrie














És patria soberana que proclama

fraternidade unida à igualdade, 
honrando os que viveram e morreram 
em busca de su'amada liberdade. 

Qual mãe que enche o filho de lembranças 
em leite que ele sorve sem cessar, 
batalhas e reinados e poesias 
teu seio oferta ao peito que se dá. 

Aqui vi o parto de uma humanidade 
da qual tu foste o ventre preparado. 

Agora é finda tua maternidade, 
um novo parto ja é esperado. 

Mas peço: me retém em tua memória 
(pois foste parte-mãe de minha história) 
e nunca esquece desses filhos teus. 

Pois levo em meu peito a tua glória 
e aind'ouço os teus brados de "Vitória!" ... 
Obrigado, França, e adeus. 


Panthéon, Paris, França (04/11/2012)