sexta-feira, 6 de junho de 2014

Pranteia

Nosso pranto 
não é triste.

É que as coisas se nos entregam

inteiras 
quando terminam. 

E recebê-las 

nos revela 
aquilo que, no fundo,
tudo é:
ciclo.

Começo,

meio,
fim,
...

E apenas a nós
cabe o cultivo das lembranças.
Às coisas cabe a semente do que sejam,
e quando terminam
nos tornamos os únicos responsáveis
pelo jardim das coisas completas.

Nossas lágrimas

são pétalas 
de completude.


Rio, 6 de junho de 2014
[para toda e cada pessoa que fez parte de Malhação Casa Cheia]

4 comentários:

Isa disse...

Lindos versos, Gabriel. Bom saber que você já voltou a escrever logo após o fim das gravações. Parabéns pelo trabalho na TV, pelo fim de um ciclo tão importante e pela sensibilidade em compor as palavras. Beijos.

Lanna Lopes;* disse...

Vamos sentir muuita saudade da Malhação Casa Cheia :(

Anônimo disse...

Muito lindo, você é um ótimo escritor. Parabéns por sua atuação em malhação, incrível, fazia anos que não conseguia acompanhar uma malhação, nenhuma delas me cativou tanto quanto essa. Parabéns também aos seus colegas, e principalmente a você, por todo seu talento tanto como ator, escritor e cantor. Felicidades em seus próximos trabalhos, e nunca deixe de ser assim tão perfeito.
Obrigada por me inspirar.xoxo

Vanessa Vieira disse...

Muito lindo o trabalho de vocês!
E que poema magnífico Gabriel!

Parabéns!