segunda-feira, 9 de junho de 2014

Sri Prem Baba

Na semana passada tive, por duas vezes, a oportunidade de estar com Sri Prem Baba. Não conhecia seu trabalho e pouco havia ouvido falar dele antes. Minhas opiniões são, portanto, quase inteiramente fruto desses dois encontros. De sobremaneira me impressionou ver alguém que, com uma história muito próxima à do brasileiro comum, tenha atingido um estado de realização psicológica/espiritual tão profundo — e agora se proponha a compartilhar suas conclusões e experiências. Paulistano do bairro da Aclimação, ele foi office-boy e gerente financeiro de uma empresa, passou pelo catolicismo, umbanda, gnosticismo, rosacruz, estudou xamanismo e se formou em psicologia, até encontrar orientação espiritual direta de um guru indiano e ser apontado como seu sucessor à frente da antiga linhagem à qual pertencia. Seu discurso é simples e direto, evitando elucubrações metafísicas e focando na experiência humana comum a todos nós — sofrimento, traumas, medo, ódio, evolução, lembranças, confiança, amor... Sua proposta mais abrangente se resume a um desafio, um convite a uma experiência: fazer 1 minuto de silêncio por dia, a qualquer momento. Apenas fechar os olhos, prestar atenção na própria respiração, se desligar um pouco da rotina, das histórias, dos afazeres e focar no interior de si mesmo. Por fim, saindo do âmbito de sua individualidade, acho extremamente preciosa a combinação singular de fatores que levou ao produto do que ele simboliza — a união de psicologia e espiritualidade, de Índia e Brasil, de tradição e realização, de passado e presente. Tudo isso é sintetizado, em sua mensagem, num sistema denominado “Caminho do Coração”, que cada um é convidado a trilhar rumo a um possível futuro para o qual o amor é uma das rotas mais diretas e plenas.

Rio, 9 de junho de 2014

Livro: "Transformando o sofrimento em alegria", de Sri Prem Baba, na Livraria Cultura

Para mais informações: http://www.sriprembaba.org/pt-br

Um comentário:

Anônimo disse...

Você é bem ligado nessas questões indianas ne? Acho ótimo, mas não sei se conseguiria. Como vc começou?
Parabéns pelo seu trabalho e malhação, vou sentir muitas saudades, mas sempre voltarei ao seu blog. Obrigada por me inspirar.